Nada de criança comemorar o dia dos namorados!

Desde abril, vocês devem ter visto algumas campanhas contra à erotização e "adultização" infantil.

Brincadeiras aparentemente inocentes como “olha o namoradinho(a) dela(e)!” ou “você já deu um beijinho na sua namoradinha(o)?” geram expectativas com as quais a criança pode não entender e não saber lidar.

Quando surge o assunto "brincar de namorar", os pais devem ouvir, se interessar e orientar os pequenos explicando que a relação entre o filho e os outros coleguinhas é de amizade, e ressaltando, ainda, que o namoro é uma questão adulta que não faz parte da infância.

A ideia de namoro pode causar confusão nas crianças entre os cinco e nove anos. Nessa fase, elas estão ainda aprendendo o que é a amizade – e pular essa etapa poderia dificultar a aprendizagem de lições importantes na construção de relacionamentos saudáveis no futuro, como respeito ao próximo, carinho, atenção e companheirismo.

Cabe aos pais mostrar a separação do universo infantil do mundo adulto, a fim de preservar uma infância saudável.


Posts Relacionados

Ver tudo

OUTROS TEXTOS PARA VOCÊ