Quando o xixi na cama deve ser motivo de atenção

Existe uma fase em que é comum a criança fazer xixi na cama, já que o mecanismo urinário dos pequenos amadurece aos poucos. Faz parte do desenvolvimento. Os episódios de escape ocorrem, especialmente, quando elas estão saindo das fraldas. Geralmente, o desfralde ocorre a partir dos 18 meses, embora haja crianças que só deixam de usar as fraldas com 1 ano e meio ou até depois de completar 3 anos. Aos 2 anos, as crianças começam a conseguir eliminar ou segurar suas necessidades fisiológicas ao longo do dia, seja xixi ou cocô. É só aos 4 anos que elas conquistam efetivamente a continência noturna, sendo importante estimulá-las a fazer xixi antes de dormir.

A partir dos 5 anos, o xixi na cama passa a ser motivo de preocupação e os pais devem ficar atentos. Segundo dados da Sociedade Brasileira de Urologia, a chamada Enurese Noturna acomete cerca de 15% das crianças por volta dessa faixa etária. O problema ocorre por fatores como atraso no desenvolvimento do mecanismo responsável pela micção, atividade intensa no músculo da bexiga, causando contrações involuntárias e, portanto, escapes de urina, anormalidades no trato urinário, dificuldades para despertar, sono muito pesado ou, ainda, aspectos psicológicos como estresse. Para o diagnóstico, é preciso avaliar os horários dos episódios das micções diurnas, a frequência de escapes involuntários durante à noite e episódios de urgência para urinar, bem como qualquer eventual dor abdominal. Se necessário, a criança deve ser encaminhada para um nefrologista ou urologista pediátrico. A Homeopatia e o “xixi na cama” O uso de medicamentos homeopáticos pode ajudar a criança, principalmente se a enurese está associada a fatores psicológicos, tratando-os progressivamente. O tratamento homeopático é gradativo e leva em conta características da criança como sua morfologia (estrutura externa) e principalmente o seu temperamento e personalidade.

#xixinacama

OUTROS TEXTOS PARA VOCÊ